If you are using the jQuery library, then don't forget to wrap your code inside jQuery.ready() as follows: jQuery(document).ready(function( $ ){ // Your code in here }); -- If you want to link a JavaScript file that resides on another server (similar to ), then please use the "Add HTML Code" page, as this is a HTML code that links a JavaScript file. End of comment */

Treinamento Corporativo pode (e deve) ser parte da estratégia do negócio

Já estive de dois lados da área de Treinamento Corporativo e posso afirmar que tanto dentro do RH, quanto em operações de varejo, as respostas são unânimes: “tenho muita coisa pra fazer”, “faço depois” (e o depois se perdeu num limbo), “é muito chato, precisa melhorar” (disse a pessoa que nem compareceu) e por aí vai.

Esses tempos apliquei um Treinamento Inicial de Vendedores em uma marca e uma das alunas ao final disse o seguinte: “achei que ia ser bem chato, mas foi incrível, leve, dinâmico e vai ajudar demais”. Claro que fico grato pelo elogio, mas o que me chamou atenção mesmo é esse preconceito das pessoas com a palavra Treinamento. Será que é um trauma de sala de aula ou daquele treino pesado da academia?

Costumo falar que há vários culpados nessa situação:

1. 33% de culpa das empresas que não trabalham com o time de Treinamento & Desenvolvimento como ponto estratégico. Pensa só: você tem pessoas qualificadas para desenvolver colaboradores de acordo com as diretrizes de todos os departamentos e gerar conexão da pessoa com a estratégia do negócio. Há uns meses fui desafiado a criar em conjunto com a equipe comercial uma metodologia para a venda de uma nova categoria de produtos e “mastigar” isso para todas as lojas. Isso é um exemplo de T&D sendo usado estrategicamente.

2. 33% culpa da pessoa que resiste e não faz nenhum treinamento. Na vida temos que ser eternos universitários e sempre estar injetando doses de conhecimento na veia. Você não vai “perder tempo que poderia entregar resultados”, e sim investindo no seu repertório.

3. 33% de culpa dos facilitadores, que podem não estar entendendo corretamente como engajar as pessoas, ou que não se reinventam para acompanhar novas e mais eficazes técnicas para tal.

4. O 1%, bom, talvez venha do destino querer ou não querer.

O ponto é: use estrategicamente essa área para desenvolver pessoas e colocar todos na mesma página. Os colaboradores estão com dificuldade de entender sobre os KPIs? Bora de parceria entre T&D + RH + Business. O problema é dificuldade no recrutamento? Vem de projeto T&D + R&S. Precisa desenvolver soft skills ou alguma hard skill mais específica? A área pode mapear consultorias e escolas de negócios especializadas nisso. O importante é confiar e se sentar junto com essa área sobre como levar tudo o que é necessário para o público-alvo.

Treinamento na veia oxigena ideias e resultados!

Autor

Ricardo Costa

Jornalista com especialização em Marketing Organizacional pela Unicamp. Atua na área de Treinamento & Desenvolvimento, sendo responsável pela capacitação das equipes de vendas de grandes marcas do varejo como mmartan, ARTEX, casa moysés e Puket. Atualmente, é Coordenador Educacional na gonow1 e acredita no poder da comunicação estratégica e criatividade para potencializar a aprendizagem no mundo corporativo.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×